Caminho do Café

« Voltar à página anterior

O Caminho do Café 

Conhecido também como Caminho dos Degraus ou Estrada Nova da Serra, o Caminho do Café, calçado com pedra pelos escravos, foi construído no início do século XIX, com a finalidade de escoar o café produzido no Vale do Paraíba, numa rota mais curta que a do Caminho do Ouro. 

Por ser mais recente que o Caminho do Ouro, foi construído com técnicas de engenharia mais modernas, as quais podem ser percebidas no sofisticado sistema de drenagem de água, nas três galerias pluviais e nos muros de arrimo com até cinco metros de altura.


O ouro e o café usaram caminhos diferentes e eram transportado em mulas

O caminho calçado possui largura de quatro metros e as pedras utilizadas no calçamento foram retiradas dos rios próximos, com superfície retangular de 30 por 40 centímetros de área e 60 centímetros de profundidade, possuindo encaixe a seco. 

Por esse caminho passou o Marechal Duque de Caxias, em 1842, com as força legais enviadas pelo Governo do Império, para combater os revoltosos de Teófilo Otoni , em Minas Gerais.

Apesar de estar abandonado a mais de 200 anos, sem nunca haverem feito qualquer tipo de manutenção ou recuperação e, da floresta em sua volta ter quase fechado o caminho, trechos dessa estrada encontram-se em bom estado de conservação, com as pedras encaixadas num perfeito alinhamento. Para se fazer todo o Caminho do Café deve-se ir até próximo à Pedra da Macela, junto à divisa com Cunha e descer andando até Paraty (aproximadamente oito horas de caminhada). Uma opção mais curta é seguir a trilha que continua após a cachoeira da Pedra Branca e subir e depois voltar pelo mesmo percurso do Caminho do Café.  Achar o início da trilha do Caminho do Café não é fácil, motivo pelo qual é recomendável um guia experiente.