Condado

« Voltar à página anterior

O Condado de Paraty

Em quatro de dezembro de 1813 a Villa de Nossa Senhora dos Remédios de Paraty foi enobrecida por D. João VI com o título de Condado, ficando seu território sob a jurisdição militar de um Conde (título nobiliárquico superior ao de Visconde e inferior ao de Marques).
Apesar de terem existido cinco Condes em Paraty, nenhum deles era paratiense. Houve entretanto um paratiense – Antônio Pereira dos Passos – que em 1860 foi nomeado Conde de Mangaratiba.

 

Os Condes de Paraty foram:

1o Conde: Dom Miguel Rafael (? / 1849)- além de Conde de Paraty foi governador da capitania de Minas Gerais, deputado, Coronel de Cavalaria do Exército Português, Gran Cruz da Torre e Espada, Conselheiro da Fazenda Real e confidente do rei D. João VI. Possuiu uma sesmaria em Paraty e a “Quinta de Botafogo” no Rio de Janeiro.

2o Conde: Dom João Ignácio Francisco de Paula Noronha (1820 / 1884) – além de Conde de Paraty foi, Oficial Mor da Casa Real, Comendador da Ordem da Conceição, Grão-Mestre da Maçonaria e afilhado de batismo de Dom João VI e Dona Leopoldina.

3o Conde: Dom Miguel Aleixo Antônio do Carmo de Noronha (1850 / 1932) – também foi encarregado dos negócios de Portugal no Rio de Janeiro, ministro de Viena (Áustria), Oficial Mor da Casa Real e autor do livro “Portugal-Brasil, Conflito Diplomático”

4o Condessa: Dona Júlia Maria do Carmo Noronha (1873 / 1941) – casada com Henrique de Paiva Couceiro que foi Capitão de Artilharia, Governador Geral de Angola, Cavaleiro Fidalgo da Casa Real.

5o Conde: Dom Miguel Antônio do Carmo Noronha (1909 / 1979 ) – filho da última condessa, foi autor de várias publicações.